hist

Fundação

O ano era 1961, muitas pessoas se mudavam para Brasília em ônibus como este, e nesse mesmo ano no dia 16 de Janeiro, Benoni Baptista Braga, Dálio Mendonça, Jayme Miranda, Hilpert Viana, Roberto Beck, Emília Pereira, Mário Carvalho e Irene Carvalho, fundaram a Comunhão Espírita de Brasília em uma residência na Av. W-3 Sul na quadra 712 bloco D casa 46.

Logo, por oferecimento do casal Mário e Irene Carvalho, a Comunhão transferiu-se, sem qualquer custo em aluguel, para a sobreloja da antiga Casa do Barata (W3 Sul - 506), dando início à venda de livros espíritas, socorro domiciliar após as sessões, caravanas às cidades-satélites levando gêneros às famílias necessitadas. Em seguida, foi criada a Mocidade Espírita, sob a presidência de Erasmo Cravo.

O primeiro presidente eleito foi Dálio Mendonça (gestão de um ano e meio), sendo substituído pelo vice Benoni Baptista. O período seguinte foi liderado por Benoni Baptista, como presidente, e Mário Carvalho, vice-presidente.

A fotografia que abre esta página, gentilmente cedida pelo Sr. Erasmo Cravo, foi realizada na solenidade de lançamento da Pedra Fundamental da Sede Definitiva da Comunhão Espírita de Brasília, em 1964. Da esquerda para a direita, temos: Janvert, Divaldo Franco, Abel Mendonça e Mário Barata.

Em 1962, a propagação da Doutrina Espírita contava com uma coluna no jornal Correio Braziliense, a cargo de Dálio Mendonça, e um programa de 5 minutos semanais na TV Brasília dos Diários Associados, com eficiente atuação de Hilpert Viana. Dos primeiros anos, também, a criação do teatro espírita, com obras recebidas, via mediúnica, por Irene Carvalho.

Registra a história da Comunhão, pela sua importância, a realização da Primeira Semana Espírita de Brasília, de 30 de abril a 06 de maio de 1962, com a presença dos oradores ilustres Newton Boechat, do Rio de Janeiro, Abel Mendonça e Divaldo Franco, da Bahia.

Com o crescimento do grupo, foi pleiteada junto à Novacap a doação de um terreno para construção de sede própria. Nesse terreno, onde a Comunhão Espírita se encontra até hoje, foi construído o primeiro prédio, graças às doações da comunidade brasiliense e à renda de almoços, chás e atividades beneficentes, conduzidos pelo grupo de trabalhadores cujo ideal maior era contar com um espaço para a ampliação das atividades de auxílio, amparadas na Doutrina Espírita.

Em breve, o edifício estaria pequeno para comportar o afluxo cada vez maior de pessoas em busca de consolo e lenitivo na Doutrina e um novo prédio passou a ser construído, novamente com o esforço e a cooperação de todos.

Estes dois prédios abrigam hoje inúmeras atividades assistenciais e de apoio espiritual, bem como de estudos e formação espírita, trabalhos com os quais esperamos corresponder aos objetivos de nossos fundadores e cooperar para o bem-estar e a harmonia da comunidade brasiliense e de todos aqueles que tanto contribuíram para o crescimento de nossa Casa.

*Fonte bibliográfica: Brasília - Aspectos Históricos e Fatos Espíritas - Benoni Baptista Braga - 1981 - Ed. Comunicação